Páginas

domingo, 8 de agosto de 2010

Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios



Pessoal
Terminei de ler um livro de amor que é a coisa mais fofa.  Se chama Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, de Marçal Aquino. Já gostei do título de cara, mas nem imaginava como seria a história.
Trata-se de um romance entre um fotógrafo que vai morar no Pará, terra de garimpeiros, e a esposa bipolar de um pastor evangélico. Os dois se conhecem e se identificam através da paixão que ambos têm pela fotografia, e passam a viver um romance ardente.
O autor mescla na história a história presente dos dois , Cauby e Lavínia, e nos conta o passado de Lavínia para entendermos sua dupla personalidade, pois ora ela está tímida e reclusa, ora está extrovertida e louca, por assim dizer. Além disso, sabemos como ela conheceu o pastor, e porque não se separa dele.
O texto é não-linear, pois mescla esta história com outra história paralela de um colega de Cauby contada em uma pensão. Ora estamos com eles no presente momento com o narrador em primeira ora, depois conhecemos a história do pastor e de Lavínia em terceira pessoa. Mesmo com essas mudanças, o texto de forma alguma é complicado, muito pelo contrário. Ao mesmo tempo que conta um romance, também trata sobre política, religião através de situações tão comuns ao brasileiro.
O personagem Cauby também adora livros, em especial o autor Benjamim Schianberg, que na verdade é um personagem fictício, um autor que faz ode ao amor, e a todo tempo, como uma monografia de faculdade, temos referências e citações de Schianberg , o que torna o texto mais gostoso de ler. 
Há quem ande já citando o tal Schianberg por aí como se ele existisse. Assim como Márcia Tiburi faz com a tal Helena Schopenhauer, outra personagem fictícia que já tem pegado pessoas dizendo que leram algo sobre ela.
Há até um filme do Beto Brant que se chama O Amor segundo B. Schianberg, que foi tirado deste romance e transposto para as telas. É, há personagens que vivem como se fossem pessoas reais.
Não vou entrar muito em detalhes para a história não perder a graça para quem for ler. Só digo que vale muitíssimo a pena.
Bom domingo.

"O amor é sexualmente transmissível" -  B. Schianberg

3 comentários:

Paula Oliveira disse...

Gostei do post ^^ Parabéns! Equipe "Dear Book" http://book-dear.blogspot.com/

Renata G. de Souza disse...

Oi!
Adorei o blog e estou seguindo! =D
Com essa resenha, dá vontade de ler o livro *---* e o título do livro? lindo demais! ^^
Se puder visitar e seguir meu blog: http://leiturasdokokoro.blogspot.com/
Bjuss =*

ALINE disse...

Oie!! Vim retribuir a visitinha e adorei o seu espaço!! Já estou te seguindo e te linkei no meu blog.
Ótimo post, e a frase final é perfeita. Gostei muito.

Bjão,

Aline - escrevendoloucamente.blogspot.com