Páginas

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Abusado


Até que enfim terminei de ler Abusado, de Caco Barcellos. A Fernandinha me emprestou na feira do livro em junho e arrastei esta leitura até o último final de semana. Claro que li entre 3 e 4 livros paralelamente para não me desgastar muito com a linguagem de bandido que Abusado tem. Adorei o livro, o texto do Caco é muito bom, preciso, pontual e de um português que dá orgulho de falar esta língua louca, porém linda. Além do ótimo texto, o trabalho de pesquisa que ele fez com os moradores da favela Donta Marta foi sensacional, principalmente com o protoganista, o traficante Marcinho VP. Ele mostrou o lado humano e social que este famoso traficante teve, como ele entrou no mundo do crime, porque não podia sair e o que ele pretendia fazer pela sociedade. Pena que ele morreu quando o livro foi lançado, supostamente por causa disto mesmo. Dizem as más línguas que o pessoal do CV- Comando Vermelho, não gostou nada do que ele contou ao Caco para a confecção do livro.


Eu tava louca pra acabar este leitura, porque, sinceramente, estou um pouco de saco cheio dessas histórias de crimes, violência, tráfico, cadeia, bandido, etc. Já não bastasse os telejornais e internet que nos lembram diariamente que vivemos uma guerra diária no RJ, agora a mídia decidiu tornar mais escancarada ainda a vida dos excluídos, como foi o caso de Carandiru ( livro e filme), Tropa de Elite, Cidade de Deus, entre outros do mesmo gênero. Abusado se enquadra nessa galera, pois conta a história da formação do Comando Vermelho e como funciona as bocas no tráfico carioca.


Apesar da leitura ter sido ótima para conhecer este outro lado que a gente ouve falar todo dia mas no fundo não conhece realmente o X da questão, quero distância deste tipo de literatura por um tempo. Já estava até falando como os bandidos do livro : "Aê vacilão, dá mole não senão leva pipoco, X9", e coisas do tipo.


Mas quem não leu, faça o favor! É lição de casa saber como funciona o tráfico de drogas no país. Assim dá para entender um pouco mais o que os moradores de uma favela passam por causa do tráfico e porque os jovens se envolvem cada vez mais neste tipo de vida.


Parabéns ao Caco Barcellos!!!! Claro que devemos saber o que acontece neste mundo que não é o meu, mas é o mundo de alguém, de vários alguéns inclusive, mas depois desta overdose da favela, quero me afastar do morro por enquanto. Minha dose já está completa.
Esta semana vou ler Albert Camus.
Beijocas, até a próxima

2 comentários:

Anônimo disse...

E a impressão que dá: o bandido é do bem... kkkk. Só Caco Barcellos mesmo! Só ele!
Fernanda

Slynah disse...

Estou louca para ler, mas como estou lendo 3 livros, vou terminar 1 deles e cair de cabeça nele...
Adoro os livros do Caco, Rota 66 também é uma boa leitura.
bjs