Páginas

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Cremona - A terra do violino

Hoje fui fazer uma matéria para o caderno especial da Folha que sairá no Dia da Mulher. O entrevistado foi o Túllio Santini, um famoso chefe de cozinha de um restaurante italiano que leva o seu nome, e que fica aqui de Ribeirão Preto.
A matéria foi espetacular, principalmente porque ele me passou muito mais informações que eu precisava, e no bate-papo informal ele me contou a história da criação do violino na Itália, que aconteceu em sua cidade de origem chamada Cremona, no norte do país, conhecida como a terra do violino.
O primeiro violino fui criado por Andrea Amati em 1574, nesta mesma cidade. O instrumento caiu no gosto dos italianos e mais tarde alcançaria a admiração mundial. Como a cidade passou a ser conhecida por esta criação, logo mais artesãos quiserem entrar na onda e também fabricar seu próprio violino.
Foi o caso de Antonio Stradivari, que criou o melhor violino do mundo em 1669 e seu invento carrega até hoje seu nome em latim, como é conhecido mundialmente : Stradivarius. Hoje, existem apenas seis espalhados pelo planeta e cada um deve custar cerca de US$ 20 milhões. A diferença deste para os outros violinos, é a qualidade de madeira que foi usada em sua confecção e o inigualável som que ele produz. Segundo Túllio Santini, a madeira é muito importante pois ela é viva, é como um organismo, por isso ela faz toda a diferença.
O museu, que abriga os últimos instrumentos originais em Cremona, recebe milhares de visitantes, mas antes que as portas sejam abertas, cada instrumento deve ser tocado por pelo menos 15 minutos ao dia. Assim, ele não perde a elasticidade de suas cordas, e continua a produzir músicas por várias gerações.
Bom, agora você já sabe um pouco mais sobre o famoso Stradivarius. Um abraço, até a próxima

Um comentário:

AC Sichieri disse...

Nossa! Não sabia que vc é uma cozinheira de mão cheia. Que legal. Eu tbm adora cozinhar.