Páginas

sábado, 31 de julho de 2010

Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil


Como as aulas estão voltando, hoje vou comentar um livro que acabei de ler essa semana, e que serve para quem gosta de História. Esqueça tudo o que você aprendeu ou está aprendendo nas aulas de História. Não que tudo esteja errado, mas toda moeda tem dois lados, e na escola só nos mostram um. Quem diz isso é o jornalista Leandro Narloch, o autor de Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil. Um livro que traz algumas histórias um pouco mal contadas e disseminadas através dos anos, em que há heróis e bandidos, mas os heróis não são tão heróis e os bandidos também não são tão bandidos.
Ele conta que sempre responsabilizamos os portugueses por terem chegado aqui, trocado espelhinhos por pau- brasil e ouro, desmatado a Mata Atlântica e terem escravizado os pobre índios. Mas parece que a coisa não foi bem assim. Não que isso não tenha acontecido, mas tem o outro lado da história. Por exemplo, os próprios índios desmatavam muito, pois faziam fogueiras imensas para espantar animais e arar a terra. Também várias tribos guerreavam entre si, portanto não dá pra falar que só os portugueses os mataram. Além disso, eles queriam ser tão portugueses que se ofereciam para trabalhar pra eles, e adoraram as tecnologias que desembarcaram junto com a tripulação. Ou seja, de coitadinhos não tinham tanta coisa.
Além disso, Leandro conta que Zumbi dos Palmares tinha escravos, invadia outros grupos e tribos e seu tio, ex-chefe do Quilombo, era bem mais querido que ele. Alguns ex-escravos, inclusive, quando eram libertos voltavam para a África para serem traficantes de escravos, que engraçado, não?!
Santos Dumont realmente não foi quem inventou o avião, ele apenas teve seu primeiro voo em 1906 registrado pela imprensa em uma competição na França, portanto ficou com essa fama por um tempo. Na verdade os irmão Wright já faziam voos desde 1903, com aviões bem mais potentes que o 14 Bis, mas não estavam preocupados em aparecer, e sim, aperfeiçoar seu invento e vender. Portanto, pessoal, o mérito é mesmo dos americanos.
O autor comenta algumas curiosidades de escritores, do surgimento do samba, da feijoada e de alguns aspectos das ditaduras que o país viveu. 
O livro é muito gostoso de ler, tem muitos dados históricos, mas tem uma linguagem fácil, ágil e bem-humorada.
Espero que gostem. Beijos

2 comentários:

Danilo Adriano Nunes Barbosa disse...

Sempre é bom vermos as duas versões de um fato mesmo! Obrigado pela dica!

Juny K. disse...

Oie! ^^ Seu blog foi indicado pelo "Dear Book" para o Selo "Deslumbrante" e o Selo "Blog da Mulher Moderna", veja aqui: http://book-dear.blogspot.com/2010/08/caixa-de-correio-2.html